Procuradores André Vinhas e Kleidson Nascimento ministram capacitação sobre novas regras da Previdência de Sergipe.

Na segunda-feira, 9 de março, os Procuradores do Estado de Sergipe, André Vinhas e Kleidson Nascimento, ministraram uma aula de capacitação para os setores de recursos humanos dos órgãos da administração estadual direta e indireta, bem como dos poderes constituídos sobre a Reforma da Previdência, no auditório do Banese. Eles trataram sobre as adequações no Regime Próprio da Previdência Social do Estado de Sergipe (RPPS-SE) por meio da Lei Complementar 338/2019.

O secretário de Estado da Administração, George Trindade, descreveu que o objetivo da capacitação é esclarecer e nivelar para as equipes de RH’s e setor pessoal de todo poder executivo e demais poderes, as novas regras de aposentadoria que foram aprovadas pela Assembleia Legislativa de Sergipe no final do ano de 2019. “Estamos tentando sempre melhorar os setores, pois os homens criam as leis e os sistemas precisam ser adaptados para isso”, avaliou George.

“Hoje nós temos três regras. Algumas pessoas estão enquadradas na regra antiga, outras na de transição e outras na nova. Então para conviver com esses três tipos diferentes precisamos esclarecer, para que não tenhamos informações que, muitas vezes, não condizem com a realidade da situação de aposentadoria do servidor. Esperamos com isso ter um processo de aposentadoria com menos dúvidas e mais eficiente”, explicou o diretor-presidente do SergipePrevidência, José Roberto de Lima, destacou que a capacitação junto à Procuradoria Geral do Estado (PGE).

O procurador-chefe da Via Previdenciária da PGE, Kleidson Nascimento, ressaltou o momento de alinhamento de todos os setores de recursos humanos do Estado, no sentido de adequação na abertura dos procedimentos de aposentadoria. “Se cada servidor que pretende se aposentar der início ao processo no seu órgão de origem vai facilitar muito, porque é importante que essas pessoas que trabalham diretamente com os RHs estejam antenadas e aptas às novas regras, para que possam minimizar qualquer transtorno e qualquer interrupção na apreciação desses processos”, observou Kleidson.Na manhã desta segunda-feira (09), foi realizada no auditório do Banese uma capacitação para os setores de recursos humanos dos órgãos da administração estadual direta e indireta, bem como dos poderes constituídos sobre a Reforma da Previdência. A apresentação coordenada pelo SergipePrevidência, foi ministrado pelos procuradores da Procuradoria Geral do Estado (PGE) André Vinhas e Kleidson Nascimento e tratou sobre as adequações no Regime Próo da Previdência Social do Estado de Sergipe (RPPS-SE) por meio da Lei Complementar 338/2019.

O secretário de Estado da Administração, George Trindade, descreveu que o objetivo da capacitação é esclarecer e nivelar para as equipes de RH’s e setor pessoal de todo poder executivo e demais poderes, as novas regras de aposentadoria que foram aprovadas pela Assembleia Legislativa de Sergipe no final do ano de 2019. “Estamos tentando sempre melhorar os setores, pois os homens criam as leis e os sistemas precisam ser adaptados para isso”, avaliou George.

“Hoje nós temos três regras. Algumas pessoas estão enquadradas na regra antiga, outras na de transição e outras na nova. Então para conviver com esses três tipos diferentes precisamos esclarecer, para que não tenhamos informações que, muitas vezes, não condizem com a realidade da situação de aposentadoria do servidor. Esperamos com isso ter um processo de aposentadoria com menos dúvidas e mais eficiente”, explicou o diretor-presidente do SergipePrevidência, José Roberto de Lima, destacou que a capacitação junto à Procuradoria Geral do Estado (PGE).

O procurador-chefe da Via Previdenciária da PGE, Kleidson Nascimento, ressaltou o momento de alinhamento de todos os setores de recursos humanos do Estado, no sentido de adequação na abertura dos procedimentos de aposentadoria. “Se cada servidor que pretende se aposentar der início ao processo no seu órgão de origem vai facilitar muito, porque é importante que essas pessoas que trabalham diretamente com os RHs estejam antenadas e aptas às novas regras, para que possam minimizar qualquer transtorno e qualquer interrupção na apreciação desses processos”, observou Kleidson.

Fonte: Sergipeprevidência

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest

Deixe uma resposta

nove − 8 =